Novo Modelo de Cadeira de Rodas

Novo-modelo-de-cadeira-de-rodas

Roda dianteira com baterias é adaptada à cadeiras de rodas
convencionais (Foto: Arquivo Pessoal/ Júlio Oliveto

Em breve um novo modelo de cadeira de rodas estará facilitando a vida das pessoas com deficiência motora no Brasil, o engenheiro mecânico Júlio Oliveto, de 27 anos, que morador de São José dos Campos, interior de São Paulo, desenvolveu o protótipo que tem custo de produção 60% menor que os modelos convencionais, têm maior agilidade em subidas e garante autonomia ao usuário que consegue, por exemplo, subir sozinho em uma guia elevada. O modelo ainda não é comercializado e foi batizado de “Radical”.

O engenheiro Júlio Oliveto garante que, um dos fatores a baratear o novo modelo de cadeitra de rodas è: que o modelo possui como base uma tecnologia simples, que consiste na implantação de uma terceira roda dianteira com baterias e funciona como um sistema de reboque. “É colocado um suporte embaixo da cadeira de rodas convencional e em seguida o protótipo se encaixa ali. Quando a bateria é acionada, é como se o aparelho rebocasse a cadeira”. Simplificando com suas próprias palavras demonstrando a viabilidade em se ter um produto final em que a tecnologia é a chave para se obter resultado positivo, principalmente em relação ao custo benefício. Outra cidade do Vale do Paraiba em se destacar em torno do protótipo é Guaratinguetá, pois, lá foi desenvolvido como resultado da tese de mestrado de Oliveto na Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Principais caracteristicas

Novo-modelo-de-cadeira-de-rodas-1

Oliveto e o Radical durante a Feira de Reabilitação
(Foto: Arquivo Pessoal/ Júlio Oliveto)

Podendo atingir até 30 km/h ele poderá ser usado em trechos de grande inclinação e ultrapassar alguns obstáculos como por exemplo: guias não rebaixadas. Em alguns trechos de subidas, dependente da inclinação sua velocidade pode ser reduzida para 5 km/h. O equipamento esta preparado para suportar no máximo 90 quilos. O peso do equipamento completo é de 32 quilos e serão necessários R$ 4.000,00 para sua produção

Por se tratar de um equipamento simples e de baixo custo, a sua manutenção também será econômica uma vez que, os materiais empregados no projeto são comuns.
Um trabalho de engenharia voltado para sociedade de baixa renda e muito necessitada de se inserir na sociedade. Em média uma cadeira de rodas motorizada importada custa R$ 10.000,00

A patente da tecnologia foi solicitado pela Agência Unesp de Inovação (AUIN) junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). O engenheiro Oliveto esta focado na melhoria do protótipo, ele pretende deixar o aparelho mais leve, e busca parcerias para fabricar o “Radical”. O projeto foi apresentado na Feira de Reabilitação 2012, realizada em agosto em São Paulo.

Parabéns ao engenheiro pela idealização.